• Inglês
  • Espanhol
virtualização dos sistemas de distribuidoras

A virtualização dos sistemas de distribuidoras: cloud computing e dispositivos móveis

Desde a Revolução Industrial, o grande fator que impulsiona os negócios é a adoção de novas tecnologias. Hoje isso é ainda mais impactante, já que computadores, máquinas, softwares e dispositivos têm presença em praticamente todos os setores. No segmento de distribuidoras, a tendência é a virtualização dos sistemas através do cloud computing.

Saiba tudo sobre como isso funciona e de que forma a sua empresa pode aproveitar essas tecnologias!

O que é a virtualização de sistemas

A virtualização pode ser definida como o ato de criar uma versão virtual de algo. Isso pode ser um sistema operacional, um servidor, um dispositivo de armazenamento ou, no caso de empresas, também documentos, ferramentas e dados.

Essa tecnologia já existe há décadas, mas começou a ganhar popularidade na década de 90 e, a partir dos anos 2000, realmente alcançou um patamar mais conhecido e abrangente. Muito disso se deve pela facilitação de ferramentas e outras tecnologias que auxiliam na virtualização, como, por exemplo, o cloud computing.

A virtualização pode ser dividida em quatro principais variações: servidores, armazenamento, rede e aplicações. A virtualização de servidores é a forma mais comum, geralmente utilizada com o objetivo de executar vários sistemas operacionais em uma mesma máquina.

Já a virtualização de armazenamento é utilizada, geralmente, para que diversos equipamentos de armazenamento de dados (como HDs) sejam reconhecidos como um só. Isso maximiza o espaço disponível e facilita o acesso aos arquivos e dados, que ficam em um mesmo dispositivo de armazenagem – que, no caso, é virtual.

A virtualização de redes permite que uma mesma camada física de rede seja dividida em “subcamadas” lógicas e isoladas entre si. Dessa forma, é possível, dentro de uma única rede principal, criar outras redes específicas para diferentes departamentos de uma empresa, por exemplo.

Por fim, a virtualização de aplicações permite que softwares sejam executados sem que precisem ser instalados em uma máquina. Além disso, essa tecnologia também é utilizada em casos específicos, em que é necessário ter versões diferentes de uma mesma aplicação rodando em uma máquina.

E o cloud computing?

E como o cloud computing se encaixa nisso? Ele é, também, uma forma de virtualização, mas mais recente. Traduzido literalmente como “computação na nuvem”, essa tecnologia permite que dados, aplicações, e arquivos fiquem salvos em servidores externos.

Assim, basta uma conexão com a Internet para acessar todos esses dados; não é preciso armazenar tudo isso em uma máquina, de forma física. Alguns dos serviços mais famosos que utilizam essa tecnologia são o Dropbox, o Google Drive e diversas ferramentas que operam no sistema de Software As A Service (SaaS).

Ao “terceirizar” o armazenamento dos dados – que ficam guardados nos servidores das empresas que disponibilizam o serviço – é possível contar com uma série de vantagens. A primeira, claro, é poupar o espaço de armazenamento dos dispositivos de uma empresa.

Além disso, o cloud computing também oferece mais agilidade e flexibilidade para a execução de tarefas, já que basta a conexão com a web para utilizar aplicações e visualizar documentos, por exemplo. Isso permite que uma pessoa use diversos aparelhos e em diferentes lugares (em casa, no escritório, ao se deslocar etc.) e tenha as mesmas ferramentas.

Como isso tudo ajuda as distribuidoras?

Alguns dos principais aspectos que fazem a diferença para uma distribuidora são a agilidade na entrega, a eficiência nos processos internos de organização e no despacho e a segurança das informações dos clientes. Tudo isso pode ser não apenas garantido, mas maximizado com ferramentas virtualizadas através do cloud computing.

Esse tipo de tecnologia permite que sua empresa utilize aparelhos modernos para realizar as tarefas de forma mais fácil e rápida. Os dispositivos móveis corporativos (smartphones e tablets), quando combinados com aplicações armazenadas na nuvem, ajudam distribuidoras a alcançarem mais produtividade e economia – como no caso da Infoco Distribuidora.

O uso do cloud computing não permite apenas que os smartphones e tablets acessem aplicativos e documentos (como relatórios e listas) através da Internet, mas também possibilita que o próprio gerenciamento de dispositivos móveis (MDM, na sigla em inglês) seja feito de forma remota.

Com uma ferramenta de MDM, é possível realizar a gestão completa dos aparelhos de forma online e massiva. Assim, sua empresa consegue instalar apps, atualizar aplicações, enviar documentos, restringir acessos (a sites e apps) e até definir um horário de funcionamento para os dispositivos.

A solução da Pulsus conta ainda com outros recursos, como registro de chamadas, modo motorista e geolocalização dos aparelhos com um mapa em tempo real. Para saber como tudo isso ajuda a sua empresa a ter mais produtividade e menos custos, você pode testar gratuitamente a ferramenta – com todas as funcionalidades e sem limite para cadastro de dispositivos.


Comece a demonstração!