• Inglês
  • Espanhol

LG encerra fabricação de celulares: qual o impacto para empresas que utilizam aparelhos da marca?

Detentora de 4.5% da participação de mercado na América Latina, a LG anunciou no dia 05 de abril o encerramento definitivo da divisão de telefonia celular em todo o mundo.

A marca, que chegou a alcançar o terceiro lugar como maior fabricante de celulares no mundo em 2013, vinha acumulando perdas por quase seis anos consecutivos, totalizando cerca de 4.1 bilhões de dólares em prejuízo. A forte competição foi um dos principais motivos alegados pela marca sul-coreana para justificar o encerramento dos negócios focados em telefonia celular.

A liquidação final do negócio deve ser concluída até 31 de julho de 2021, embora o estoque de alguns modelos existentes pode ainda estar disponível depois desta data.

“A decisão estratégica da LG de sair da indústria de telefonia móvel incrivelmente competitiva permitirá que a empresa concentre recursos em áreas de crescimento, como componentes de veículos elétricos, dispositivos conectados, casas inteligentes, robótica, inteligência artificial e soluções business-to-business, bem como plataformas e serviços”, disse a empresa em um comunicado.

Quais as razões do fechamento?

Além da alta competição, a consultoria Counterpoint atribui esse fechamento ao fato de que “quando a era dos smartphones começou, a LG adotou o sistema operacional da Microsoft em vez do Android e entrou relativamente tarde no sistema operacional do Google”. Isto, segundo especialistas, teria feito os aparelhos da LG perderem apelo junto aos consumidores e contribuiu para a queda de participação no mercado. A pandemia, que limitou a abertura das lojas, e o foco no segmento de smartphones de alto padrão (onde há ainda mais competição), também entram na lista dos motivos que levaram ao encerramento das operações.

Quem tem aparelhos LG, o que esperar?

A marca confirma que os aparelhos continuarão funcionando normalmente e que, nos próximos meses, dará apoio a quem possuir um celular LG, dependendo das leis de garantia vigentes em cada país: “Forneceremos suporte de serviço e atualizações de software para clientes de produtos existentes por um período de tempo que irá variar de acordo com cada região”.

No Brasil, o PROCON-SP notificou a LG para que dê mais detalhes e explicações, solicitando que a marca apresente um plano de atendimento aos consumidores, plano de manutenção, reparos e reposição de peças não cobertos por garantia, esclarecimento sobre eventual redução da rede de assistência técnica autorizada, além de esclarecer o período de tempo em que a empresa manterá a oferta de componentes, peças de reposição e acessórios compatíveis.

Para empresas que utilizam aparelhos corporativos LG, o que fazer?

Para as empresas que já utilizam celulares LG, é de grande importância prestar atenção nas atualizações de sistema operacional e de segurança, além de começar a considerar a troca para outra marca caso os aparelhos não estejam mais atendendo as necessidades de uso no ambiente corporativo.

A marca afirma que o processo de atualização para o Android 11 já está em andamento e que pretende oferecer a versão 12 do sistema operacional a alguns aparelhos elegíveis (o portal XDA Developers prevê que esta nova versão chegue apenas aos modelos topo de linha da marca que foram lançados com Android 10, Velvet, o V60 ThinQ e Wing).

Quanto a atualizações de segurança, a LG também garante que haverá cobertura, mas também diz que pode mudar de ideia no futuro, sendo que os consumidores serão notificados com antecedência caso este cenário aconteça.

Diante do cenário de incertezas, a recomendação é que os aparelhos da marca não sejam considerados em futuras trocas de parque.

Sua empresa está pensando em modernizar o parque de dispositivos?